Ao chegar os conquistadores, o atual território de Mendoza era povoado de grupos indígenas, predominando huarpes e incas quais, devido à aridez do solo, o chamavam “Cuyum Mapu” (terra de areias).

Os indígenas aplicaram seu engenho para cultivar nesta agreste geografia, canalizando em acéquias as águas de degelo. Assim se criou o oásis que hoje se deleita Mendoza.

Fundação. Em 22 de fevereiro de 1561, o general Pedro del Castillo chegou desde o Chile ao Vale de Huentata e tomou posse da comarca empunhando um estandarte real espanhol. Ele havia sido enviado por don Garcia Hurtado de Mendoza, governador do Chile naquele então, e em sua homenagem fundo a Cidade de Mendoza do Novo Vale da Rioja, em 2 de março de 1561. Originalmente a cidade de Mendoza estava localizada onde atualmente se conhece com La Media Luna no distrito de Pedro Molina, no município de Guaymallén, ao oeste do canal Cacique Guaymallén.

Um ano depois, Francisco de Villagra enviou a Juan Jufré e Loayza para mudá-la de lugar, ainda que não variou muito. A vila recebeu o nome de a Ressurreição, que não prosperou.

Segundo antigos escritos, os vizinhos eram muito poucos, ainda que bem organizados. Desde o momento de sua fundação, Mendoza teve estruturas políticas (Cabildo, autoridades civis e religiosas, etc.) e urbanísticas.

 

Cidade Colonial. Em 1776 se criou o Vice-reinado do Rio da Prata e a província de Cuyo passou a formar parte de Córdoba do Tucumán. Logo se dividiu, mantendo como capital Mendoza. Mais tarde, no marco da crise de 1820, Mendoza —separada de San Luís e San Juan— criou seu próprio governo.

 

Cidade Independente. Mas antes deste último episódio, Mendoza foi crucial para a independência americana desde a chegada de José de San Martín como Governador administrador de Cuyo em 1814. Aqui se gesta o Exército Libertador e a glorioso travessia dos Andes de 1817.

 

Cidade Nova. Houve outra fundação de Mendoza. Foi logo depois do terremoto (20 de marzo de 1861), que obrigou a pensarem em uma nova localização. Foi projetado por Julio Balloffet e a cidde se planificou tendo como centro a atual praça Independência.

Distanciado ficou o antigo perímetro urbano e a praça Pedro del Castillo, que foi transformada em Área Fundacional, onde se preserva parte do patrimônio arqueológico de Mendoza.

No final do século XIX, em 1884, chegou o progresso: o trem. Junta com as locomotoras chegaram os imigrantes, principalmente de origem italiana, espanhola, árabe e judia e, com eles, a grande transformação de Mendoza e sua personalidade definitiva.

Esta entrada también está disponible en: Espanhol, Inglês

¿Qué te pareció la publicación?

Loading Facebook Comments ...